Blog

02
Oct
2010

5 respostas

Soneto “Por almas de amantes devorar”

Por almas de amantes devorar, em meu coração se fez a negrura: só o que sinto é colossal amargura, pois seus desejos posso antecipar. Meu peito, não mais firme, vai e procura o vício e a langue fome suplantar: rastreou teu pulsante bezoar, do veneno amargo a última cura. Meu coração velou-se de carmim, sem saber [...]

20
May
2010

2 respostas

pecado é meu amor

pecado é meu amor,
monstruoso, profano,
lástima, insano.
é ao puro, terror.

16
May
2010

responda

Minha tentativa de Haikai

A música toca.
Brilham estrelas no chão,
reflexos de luzes.

15
May
2010

responda

Povo do Desejo

A tribo, a poesia, as estradas, no espelho, a tradição, refletida.

18
Mar
2010

responda


Amor, amor

Amor é fogo que arde sem se ver; É ferida que dói e não se sente; É um contentamento descontente; É dor que desatina sem doer. É um não querer mais que bem querer; É um andar solitário entre a gente; É nunca contentar-se de contente; É um cuidar que se ganha em se perder. [...]

30
Dec
2009

responda

Elfenlied

O original é em alemão, em que Elf e Eleven são a mesma palavra: Elfe.

O poema é de Eduard Mörike.

24
Nov
2009

responda

Algumas poesias

Hoje achei uns manuscritos que fiz por volta dos meus 16 ou 17 anos, poesias, anotações. Acabei me inspirando a achar as minhas poesias digitadas, importei pro Google Docs pra não perder mais. Tentei fazer algumas usando a métrica islandesa, mas é muito difícil no português, então algumas regras eu tive que ignorar.

27
Jul
2009

responda

Encantos

Você sussura encantos
Traiçoeira é sua espécie…
(…)

20
May
2009

4 respostas

Como a vida deveria ser

Não importa a direção, não importa a velocidade
Não importa o motivo, não importa a música
Não importa a causa, não importa a consequência
Importa a dança

07
Oct
2007

responda

Árvore do mundo

Fizeram um círculo de fogo
ao som de tambores e flautas
eles dançam
enquanto no centro a febre, o suor.

Página 1 de 212


Portfólio

Blog

13
Dec
2010

Daniel E.

“Meu distúrbio, não diagnosticado pelos mais renomados especialistas, não aceito pelos filósofos e religiosos, torna insuportável a minha vida. Todos à minha volta temem a morte, eu temo o nascimento. Devo explicar a minha situação, porque não tenho amigos que saibam dela e pretendo terminar a minha vida de uma forma que me seja familiar [...]

continue lendo

Trançados