Encantos

Você sussura encantos
Traiçoeira é sua espécie…

Você me tomou e levou longe
Tomou meus desejos e os tornou seus
Acordou minhas paixões e as fez tuas

Você sussura encantos
Desperta vontades e instintos que eu desconhecia
Toma minha alma, leva longe

Com seus encantos…
Traiçoeiros…
Sedutores…
Só desejo a você
Outros sonhos eu esqueci

Malditos os amores, malditos os desejos…
Fecho meus olhos e só vejo a você
Ah… encantos… feitiços… sussurros e segredos…
Malditos sejam meus amores

Saber que você os criou
Em seu altar, em seu templo, em seu quarto escuro
Entre seus segredos sórdidos
Com palavras traiçoeiras
Ah! Isso não diminui o meu amor
O desejo que você criou é meu
E eu desejo

Do limiar

Na teoria do monomito de J. Campbell (esse é o JC que eu gosto) existe um momento/lugar que posso chamar de mundo comum, ou mundo ordinário.
Não existe nada de errado em viver nele, mas vivendo nele não é de herói que você pode ser chamado.
Nesse momento o futuro herói é chamado para a aventura, ele encontra um mentor que o porá a prova, e pra sair do mundo comum e entrar no mundo estranho ele precisa enfrentar um guardião – ou derrotá-lo, absorvê-lo, aliar-se a ele, que seja.
Na busca dos sonhos da gente também temos nossos guardiões, também deixamos um “mundo comum” para trás. Também deixamos amigos, família ou conceitos, ou todos e mais. E faz pensar que quem mais se dói no duelo com o guardião é o herói, mesmo vencendo, porque é sempre uma perda.
Mas ele pode se resignar à dor e voltar, fracassar. Mas vai ser impelido a continuar, e vai enfrentar o guardião de novo.
Crescer dói, e todos se lembram das dores do crescimento na adolescência e pré-adolescência.

E nada no mundo estranho é como no mundo comum.
Quando o herói se dá conta disso, respira fundo e agradece ao guardião morto por ter dado sua vida por essa lição.
Ele não sente saudade.



Portfólio

Blog

13
Dec
2010

Daniel E.

“Meu distúrbio, não diagnosticado pelos mais renomados especialistas, não aceito pelos filósofos e religiosos, torna insuportável a minha vida. Todos à minha volta temem a morte, eu temo o nascimento. Devo explicar a minha situação, porque não tenho amigos que saibam dela e pretendo terminar a minha vida de uma forma que me seja familiar [...]

continue lendo

Trançados